Pesquisar este blog

14 de novembro de 2014

Igreja ou igreja???



Antes de começar essa breve reflexão (e não quero aqui criticar por criticar, quero somente pensar e levar a quem queira pensar também), interessante seria entender o que é "igreja".

Dá a impressão que a igreja é uma casa (com suas paredes, teto, janelas e etc) onde se reúnem pessoas com o fito de cultuar a sua divindade;

Dá a impressão, também, que a igreja de Deus é a que nós estamos vinculados, pois nós somos servos e filhos do Deus Altíssimo;

Dá a impressão, ainda, que se numa cidade (aldeia, vila, distrito e etc) não tem uma "igreja" a que estamos vinculados, ela não está completa, ou não tem um trabalho evangelístico, ou não está sendo propagado o evangelho de Cristo;

Dá a impressão.

Falsa impressão.

Esta impressão, acima exposta, é o que gera a igreja com "i" minúsculo, pois Igreja com "I" maiúsculo não tem placa, não tem nome institucional, não tem convenção, não tem "endereço", não tem presidente, não tem diretoria, não atende interesses pessoais, não está fechada dentro de paredes, não está restrita, não faz acepção de pessoas, não está preocupada com seu umbigo somente, ela é pra fora, é expansiva, é um local agradável a todos (independente de paredes), não somente aos seus, é reflexo puro do Amor de Cristo, é uma mão estendida, é serviço prestado, é ferida curada.

Confesso que me incomoda ver que "nos esforçamos" para "implantar" uma igreja onde já existem outras, onde o evangelho já é pregado, o amor de Cristo já é vivido.

Poderíamos, no entanto, ajudar (financeiramente, ou com mão-de-obra) os grupos/comunidades locais, ou investirmos nossas forças e ações para que a Igreja seja conhecida e "implantada" onde não há nada do amor Cristo.

Incomoda-me.

Só a título de exemplo, e termino: 

Na Nigéria, pastores (falsos, bandidos e malignos) estão tentando (e muitas vezes conseguindo) arrancar dinheiro do povo, em situação miserável, com o argumento que um dos filhos (pequenos, com menos de 10 anos) é considerado uma "criança-bruxa" (ASSISTA ESTA REPORTAGEM, POR FAVOR: ABC News - CRIANÇAS BRUXAS - ACUSADAS EM NOME DE JESUS - http://www.youtube.com/watch?v=miFrfTm-k3g - legendado).

Claro que sei que em nosso país ainda necessita muito de Cristo, mas será que este desejo de "implantar" uma igreja (Batista, Presbiteriana, Assembleia de Deus, Católica e etc) não poderia ser transformado em implantar Amor de Cristo com ações práticas (sem gastança com construção de templos) num lugar como esse da reportagem?

Não sou contra o grande ajuntamento, nem contra a instituição em si (mesmo porque eu convivo numa), só não podemos sacralizar aquilo que nem de perto merecer tal status. Temos que ter cuidado para não santificar lugares e objetos.

Ademais, a macro reunião além de saudável é totalmente importante para a comunhão (koinonia), para ampliar relacionamentos, para se ter um Selah (pausa) e dedicar um tempo exclusivo à reflexão, adoração e louvor ao Grande e Eterno trino Deus.

Lembre-se que Cristo nos chamou para salgarmos (darmos gosto e sabor à vida) e iluminarmos (mostrar o caminho) por onde quer que formos.